Falando sobre: Simulador de direção

Falando sobre: Simulador de direção

   Desde a publicação da Resolução n° 543 pelo Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN), em julho de 2015, passou a ser obrigatório o uso de simuladores de direção veicular para os candidatos à obtenção da primeira habilitação na categoria B (carros) e para os que já são habilitados na categoria A (motos) e desejam acrescentar a B.

   As aulas no simulador devem ser feitas após a emissão do certificado de conclusão do curso teórico e antes da emissão da Licença para Aprendizagem de Direção Veicular (LADV), e, das horas de aulas práticas de direção exigidas, até oito poderão ser realizadas no simulador, sendo cinco obrigatórias – das quais uma com conteúdo noturno.

Fique sabendo

    O simulador de direção veicular foi concebido através de um estudo encomendado pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) à Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Contanto com o respaldo da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), através de uma pesquisa durante o Congresso Latino Americano, com mais de oitocentos médicos especialistas em medicina de tráfego, identificou-se que cerca de 98% dos entrevistados avaliava o uso do simulador de direção como um avanço na transformação da realidade do trânsito brasileiro, colaborando com um espaço mais seguro e consciente.

Na prática

      Os futuros condutores que desejam obter a CNH da categoria B passam pelo seguinte procedimento a partir da obrigatoriedade do simulador: Exames numa clínica credenciada, escolha de uma autoescola do bem e credenciada ao Detran (Para consultar, acesse: https://goo.gl/SCLtkD ), curso teórico (legislação), aulas com o simulador e realização da prova teórica. Caso seja aprovado na prova de legislação, o aluno segue para as aulas práticas de direção veicular, e, ao concluir o curso, realiza a última etapa, ou seja, a prova prática.